Lucro recorde do Itaú em 2017 teve empurrão de trégua em provisões

Lucro recorde do Itaú em 2017 teve empurrão de trégua em provisões

Coluna do Broadcast

08 de fevereiro de 2018 | 05h00

O lucro líquido recorde do Itaú Unibanco no ano passado, de cerca de R$ 24 bilhões, teve um impulso dos menores gastos do banco com calotes, as chamadas provisões para devedores duvidosos (PDDs). Somente nessa linha, o banco economizou mais de R$ 6,5 bilhões. Seu principal concorrente, o Bradesco, poderia ter seguido o mesmo caminho não fosse uma postura mais conservadora, segundo a agência de risco Austin Rating.

Travesseiro
Mesmo sem casos excepcionais tão maiores que os de seu par, a instituição acabou gastando cerca de R$ 900 milhões a mais do que no ano anterior para manter seu colchão para possíveis perdas. O Santander Brasil, em menor escala que o Itaú, também teve ajuda da queda das provisões no ano passado, de quase R$ 1,5 bilhão. A Austin considerou os resultados com ajustes dos bancos em 2017.

Siga a @colunadobroad no Twitter