Mercado Bitcoin compra fatia em uma das maiores curadoras de arte digital

Mercado Bitcoin compra fatia em uma das maiores curadoras de arte digital

Cynthia Decloedt

28 de outubro de 2021 | 05h45

Câmera em frente ao “Autoglyph #177”, à direita, e “CryptoPunk #7523”, exemplos de arte digital   Foto: REUTERS/Shannon Stapleton

O 2TM, grupo que controla a plataforma Mercado Bitcoin, entrou no segmento de arte – como não poderia deixar de ser, por uma porta vanguardista e futurista. Adquiriu uma participação na Fingerprints, empresa curadora de arte digital, na qual todos os processos acontecem no ambiente blockchain, sem a presença de humanos.

A transação também teve um formato inovador, com ativos digitais. Para comprar a participação na Fingerprints, o 2TM transferiu Ethereum (moeda virtual) e recebeu em troca $PRINTS, que são tokens com direito a voto na companhia. Segundo Roberto Dagnoni, CEO do 2TM, todo o projeto é revolucionário.

As organizações autônomas descentralizadas ou DAOs (decentralized autonomous organization) permitem que comunidades online se organizem economicamente dentro do blockchain. A partir daí, o grupo reúne capital e estabelece as regras de como esses recursos serão empregados. O próprio blockchain da organização fará com que as cláusulas sejam cumpridas, além de novas propostas também poderem ser votadas via blockchain.

Coleções

Criada em março pelos empreendedores Luiz Ramalho e Renato Shirakashi, fundadores da Polvo Technologies, a Fingerprints DAO reúne várias coleções de arte digital. Três delas, a Digital Zones of Immaterial Pictorial Sensibility, do artista Mitchell F. Chan, Mutant Garden Seeder, de Harm van den Dorpel e Glitchbox, do artista DEAFBEEF, estiveram num leilão de NFTs (tokens que não podem ser reproduzidos ou violados) organizado pela Sotheby’s entre 14 e 21 de outubro.

Além disso, a Fingerprints é dona de uma das maiores coleções do mundo de Autoglyphs, tipo de arte on-chain, sem a necessidade de uma referência a um link externo. Concebidos em 2019 pelos mesmos criadores dos CryptoPunks, os Autoglyphs são a primeira obra de arte criada e custodiada na rede do Ethereum, on-chain. O sistema só permitia a criação de 512 Autoglyphs, e todos já foram feitos. Daí a exclusividade e a importância histórica. O Autoglyph mais barato no mercado hoje custa US$ 1,3 milhão.

 

Esta nota foi publicada no Broadcast+ no dia 27/10/21, às 17h09.

O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse.

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.