Mercado sugere resgate antecipado e CDI nas debêntures de infraestrutura

Mercado sugere resgate antecipado e CDI nas debêntures de infraestrutura

Coluna do Broadcast

12 de abril de 2019 | 04h00

O setor financeiro está despejando ideias nas equipes do governo envolvidas nos planos para aumentar o número de investidores brasileiros e estrangeiros interessados nas debêntures de infraestrutura, que isentam o investidor de Imposto de Renda. Os trabalhos devem ser apresentados em maio. Entre algumas das propostas de interlocutores do mercado e de escritórios de advocacia, estão o resgate antecipado dessas debêntures, o que já é praticado no mercado de bônus no exterior e a remuneração dos papéis também pelo CDI.

Na pressão. A lei atual exige que a debênture de infraestrutura ofereça remuneração com base no IPCA. Em 2015, quando foi criada, a exigência estava relacionada a um esforço de desindexar do CDI as opções de investimento. Aparentemente, o governo tem resistido a essa ideia. Mas as empresas de infraestrutura querem a mudança porque a alteração pode diversificar o risco de exposição do setor nessas captações.

Queremos gringos. A Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiros e de Capitais (Anbima) também tem apresentado publicamente suas propostas e uma das mais interessantes está em tornar efetiva a atração dos estrangeiros para o instrumento. Em sua versão original, o benefício fiscal da debênture de infraestrutura já existe ao estrangeiro, mas não deu resultado porque compete com os títulos públicos, onde o estrangeiro investe sem risco cambial.

Siga a @colunadobroad no Twitter

Para ver a Coluna do Broadcast sem o delay assine o Broadcast+

Mais conteúdo sobre:

debênturescrédito