Mineradoras querem se aliar a mercado de capitais para ampliar pesquisa

Mineradoras querem se aliar a mercado de capitais para ampliar pesquisa

Fernanda Guimarães

30 de janeiro de 2020 | 05h01

Com a defasagem de desenvolvimento geológico no Brasil, o setor mineral, representado pelo Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram), quer lançar no País uma estrutura de mercado de capitais voltada a financiar o setor. O modelo seria semelhante ao que já existe no Canadá e Austrália, mercados nos quais há muitas mineradoras listadas. O presidente do conselho do Ibram, Wilson Brumer, afirma que a entidade vem se debruçando sobre as experiências externas. A ideia, agora, é sentar com a B3 para desenvolver essa iniciativa.

Leia também: Leonardo DiCaprio critica garimpo em terras indígenas na Amazônia

Resgate. A intenção é resgatar a pesquisa geológica no Brasil. O País tem ficado atrás, por exemplo, no avanço de novas capacidades e de tecnologia. Como efeito, o Brasil tornou-se insignificante em mineração de terras raras, apesar de suas grandes reservas, um mercado hoje dominado pela China. As terras raras são itens fundamentais à alta tecnologia e já chamado de “ouro do século XXI”.

Notícia publicada no Broadcast no dia 29/01/2020, às 14:33:10

Contato: colunabroadcast@estadao.com
Siga a @colunadobroadcast no Twitter

 

Tudo o que sabemos sobre:

Ibrammineradoras

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: