Minoritários da Prumo voltam a apostar em 2º laudo para oferta de aquisição

Coluna do Broadcast

12 de abril de 2017 | 05h00

Um grupo de acionistas minoritários da Prumo está confiante de que conseguirá a aprovação, em assembleia, de um segundo laudo de avaliação da companhia, no âmbito da Oferta Pública de Aquisição (OPA) para posterior fechamento de capital. A nova assembleia será necessária após a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) bater o martelo de que o fundo árabe Mubadala, que votou contra o novo laudo, não poderia ter participado da votação anterior por ser parte vinculada com o controlador, o fundo americano EIG.

Protagonista?

À CVM, o Mubadala admitiu negociar a fatia da Prumo detida pelo Itaú Unibanco, de 4,75%. Para alguns minoritários, não seria estranho que o fundo estendesse a proposta que pode ser fechada com o banco aos demais minoritários. Procurada, a EIG não comentou. A Mubadala disse que discorda “fortemente da análise de que as ações detidas pela Mubadala não são parte do float”. Já a Prumo informou que está analisando o conteúdo do ofício da CVM.

Siga a @colunadobroad no Twitter