Missão brasileira visita laboratório da Huawei na China

Missão brasileira visita laboratório da Huawei na China

Anne Warth

12 de fevereiro de 2021 | 04h09

Foto: Andy Wong/AP

Nas menos de 24 horas que os integrantes da missão 5G do governo brasileiro passaram na China, a Huawei se esforçou para deixar claro que não tem qualquer participação estatal e para reafirmar suas políticas para garantir a segurança de seus equipamentos.

Líder no 5G, a Huawei é o maior alvo dos Estados Unidos, que acusam a companhia de atuar como braço de espionagem do governo chinês e de não seguir padrões de transparência e de governança corporativa.

Segurança cibernética foi tema da reunião

A maior parte da reunião foi dedicada à questão da cibersegurança, com direito a uma visita ao laboratório da empresa dedicado ao tema. A comitiva brasileira foi liderada pelo ministro das Comunicações, Fábio Faria.

Apesar de toda a pressão dos EUA e da ala ideológica do governo, o edital do leilão do 5G não traz qualquer restrição ao uso de equipamentos da Huawei no Brasil. A proposta deve ser aprovada pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) no fim do mês, e o leilão está programado para o fim do primeiro semestre.

Tudo o que sabemos sobre:

5GHuawei

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.