Molina se mexe para ficar com fatia do BNDES na Marfrig

Molina se mexe para ficar com fatia do BNDES na Marfrig

Coluna do Broadcast

08 de setembro de 2019 | 04h00

Marcos Molina, sócio-fundador e dono da maior participação na Marfrig, está se preparando para o momento da venda da fatia do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) na companhia e já está “ batendo na porta” das principais instituições financeiras. O empresário quer garantir recursos para adquirir a parte do banco de fomento. Em sua peregrinação, já teria ido ao JP Morgan, Bradesco e Santander. Molina detém 36,43% de participação na Marfrig, por meio da holding MMS Participações. O BNDES é seu maior sócio, com uma fatia de 33,74%, que deverá ser colocada à venda como parte da estratégia já anunciada de desinflar o braço de investimentos do banco, o BNDESPar.

Em alta

O valor de mercado da participação do BNDES na Marfrig, considerando-se o preço de R$ 8,64 por ação da companhia na B3 nesta sexta-feira, estava em cerca de R$ 1,8 bilhão. Comenta-se nos bastidores que Molina busca apenas uma parte desse total de recursos com os bancos. A companhia, que embarcou em um tentativa frustrada de fusão com a BRF, tem valor de mercado de R$ 5,32 bilhões. Procurada, a Marfrig não comentou. Os bancos não se manifestaram.

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Siga a @colunadobroadcast no Twitter

Tudo o que sabemos sobre:

bndes

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: