Movimento da Gafisa com CRIs repete Urbplan antes de recuperação judicial

Movimento da Gafisa com CRIs repete Urbplan antes de recuperação judicial

Coluna do Broadcast

07 Fevereiro 2019 | 05h00

A revelação da securitizadora Polo de desvio pela Gafisa dos pagamentos de financiamentos feitos pela incorporadora para seu próprio caixa, a despeito de terem sido cedidos para a securitizadora, deixou o mercado de orelha em pé. O movimento é semelhante ao realizado pela incorporadora Urbplan pouco antes de entrar com seu pedido de recuperação judicial no ano passado. A Polo “comprou” esses créditos – recebíveis no jargão do setor – da Gafisa e os “vendeu” a investidores no formato de Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRIs). Se a Gafisa recorrer à recuperação judicial, com esse movimento, os recebíveis entram no bolo da dívida que normalmente é paga com desconto e em longo prazo.

Tem mais.

A Polo tem pouco mais de R$ 56 milhões em CRIs da Gafisa. A incorporadora era responsável pela cobrança dos recebíveis e o mercado comenta que isso pode ter facilitado a manobra. A Polo não é a única que distribuiu CRIs a partir dos recebíveis da Gafisa. A Habitasec tem mais de R$ 223 milhões e a Ápice, cerca de R$ 16 milhões. Procurada, a Gafisa disse estar tomando as medidas cabíveis. A Ápice informou que R$ 14 milhões de CRIs estão sendo pré-pagos hoje, dia 7, e os R$ 2 milhões residuais em até dois meses. A Habitasec não comentou.

Siga a @colunadobroad no Twitter

Para ver a Coluna do Broadcast sem o delay assine o Broadcast+

Mais conteúdo sobre:

Gafisa