Negociação de ativos da Localiza e Unidas avança com ao menos 5 interessados

Negociação de ativos da Localiza e Unidas avança com ao menos 5 interessados

Juliana Estigarríbia, Altamiro Silva Junior e Cynthia Decloedt

23 de fevereiro de 2022 | 05h10

Lances pelos ativos podem girar ao redor de R$ 4 bilhões  Foto: Valéria Gonçalvez/Estadão

O pacote de venda de ativos que permitiria a conclusão da fusão entre Localiza e Unidas – uma exigência do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) – está avançando para a segunda fase, de acordo com  fontes próximas às negociações. As empresas contrataram o Bank Of America (BofA) para buscar principalmente compradores estrangeiros. Após uma dezena de empresas mostrar interesse, pelo menos cinco nomes estariam na disputa. Segundo fontes, os lances podem girar em um patamar de R$ 4 bilhões. O prazo de entrega das propostas para avançar nas negociações acabaria na semana passada, mas foi prorrogado por uns dias. Agora, os interessados podem se manifestar até pelo menos o fim desta semana.

Entre as empresas que teriam interesse no pacote estão as locadoras Ouro Verde (controlada pela Brookfield), Turbi e Fleetzil (da Volkswagen Financial Services), além da Cosan e dos fundos norte-americanos Advent e Acon Investments.

A Fleetzil informou ao Broadcast que não fará uma proposta pelo pacote. A  Cosan anunciou ontem o fim das tratativas para  uma joint venture de mobilidade (que incluía carros por assinatura) com a Porto Seguro, o que poderia afetar seus planos sobre o pacote da Localiza.

Remédios

Para a conclusão da operação, o Cade exigiu a venda de um conjunto de ativos para um comprador que pudesse rivalizar com a nova empresa resultante da união da Localiza com a Unidas. Segundo fontes, o acordo teria como base os números da Unidas no terceiro trimestre de 2021: cerca de 63 mil, com uma idade média da frota reduzida.

No entanto, o pacote foi oferecido ao mercado com cerca de 46 mil carros e idade média de 27 meses (quando os ativos forem de fato alienados). Apesar do interesse, as condições podem ser um entrave para a conclusão do negócio, segundo fontes ouvidas pela reportagem, uma vez que os ativos já viriam com grande depreciação. Adicionalmente, há dúvidas se o Cade de fato aprovaria o negócio com os volumes e condições apresentados pelas requerentes.

Localiza e Unidas têm prazo de aproximadamente seis meses para concluir o negócio.

Procurados, BofA, Advent e Localiza disseram que não comentariam. A norte-americana Acon e a Turbi não responderam até o fechamento desta reportagem. Já o Cade informou que não pode se manifestar em casos que ainda estão em julgamento.

 

Esta nota foi publicada no Broadcast no dia 22/02/22, às 17h40.

O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse.

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Tudo o que sabemos sobre:

locadorasLocalizaUnidascadefusão

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.