Nippon já se prepara para indicar presidente da Usiminas em 2022

Nippon já se prepara para indicar presidente da Usiminas em 2022

Coluna do Broadcast

10 de setembro de 2019 | 04h00

O conglomerado japonês Nippon Steel já se prepara para a indicação da presidência da Usiminas, na qual é sócio com cerca de 31% do capital votante. O “plano A”, se a escolha fosse hoje, seria por Roberto Maia, que já foi diretor-executivo de Produção da Usina de Ipatinga, em Minas Gerais, e que atualmente ocupa a Diretoria Corporativa de Pesquisa, Propriedade Intelectual e Padronização de Tecnologia da siderúrgica mineira. A companhia japonesa, contudo, tem o direito de apontar o próximo presidente da Usiminas apenas em 2022.

Escravos de Jó. A alternância de poder na empresa faz parte do acordo de acionistas fechado há pouco mais de um ano e que marcou o desfecho de uma longa briga societária entre Nippon e Ternium, que juntas controlam a siderúrgica. A primeira a fazer a nomeação ao cargo foi a Ternium, que manteve Sergio Leite na presidência executiva, mandato que se encerra em 2022. À época, a Nippon indicou, por sua vez, o presidente do Conselho de Administração e escolheu Ruy Hirschheimer, ex-presidente da Electrolux na América Latina. Procurada, Usiminas disse que não comenta “assuntos relativos aos seus acionistas”.

Siga a @colunadobroadcast no Twitter

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Tudo o que sabemos sobre:

Usiminas

Tendências: