Nokia permanece indecisa sobre nova fábrica no Brasil

Nokia permanece indecisa sobre nova fábrica no Brasil

Circe Bonatelli

03 de março de 2022 | 05h40

Projeto da Nokia com a WEG, em Jaraguá do Sul (SC), para uso do 5G   Foto: Dieter Gross/Estadão

A finlandesa Nokia quer ampliar as atividades no Brasil, mas ainda não bateu o martelo. Desde o ano passado, a companhia vem analisando a construção de uma nova fábrica para atender a demanda crescente por equipamentos de redes 5G tanto do mercado brasileiro quanto de outros países da região. A dúvida é se o ritmo desse mercado proverá escala suficiente para justificar os investimentos numa nova unidade industrial, afirmou à Coluna o presidente da Nokia na América Latina, Osvaldo di Campli.

Segundo ele, a entrada de competidores no 5G no Brasil é um ponto positivo para toda a cadeia produtiva. O 5G será oferecido pelas três grandes teles – Vivo, Claro e TIM -, assim como por operadoras regionais – como Brisanet, Algar, Sercomtel, Copel, Unifique e Winity, entre outras. Para Di Campli, trata-se de uma “oportunidade interessante”.

A Nokia já tem 214 contratos para fornecimento do 5G, entre os quais com a Vivo, no Brasil. Recente estudo feito com a consultoria Omdia sobre o impacto do 5G no Brasil nos próximos 15 anos aponta que será possível ter ganho de produtividade de até US$ 1,2 trilhão – estimativa equivalente a 1% no PIB brasileiro por ano daqui para frente.

A Nokia tem um centro de integração, fabricação e logística em Curitiba. A multinacional é lembrada no País pelos celulares do tipo “tijolões” de anos atrás. No entanto, deixou de fabricar esses aparelhos, e apenas recebe os royalties de concessão das licenças. Seu principal negócio hoje são mesmo os equipamentos de redes e soluções de TI.

 

Esta nota foi publicada no Broadcast no dia 02/03/22, às 14h18.

O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse.

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Tudo o que sabemos sobre:

telecom5GNokiaequipamentos

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.