Noticiário político não desanima comitiva de banqueiros em Davos

Noticiário político não desanima comitiva de banqueiros em Davos

Economia & Negócios

22 Janeiro 2019 | 05h00

As notícias envolvendo a família Bolsonaro, apesar de terem agitado os bastidores políticos no Brasil, ao que parece ainda não contaminaram a expectativa que a comitiva brasileira de banqueiros levou para Davos. Sustenta o otimismo dos brasileiros as falas do presidente eleito Jair Bolsonaro e ainda do ministro da Economia, Paulo Guedes, tidos como a ponte consolidadora de uma agenda positiva para o Brasil. O tema, porém, não passa desapercebido. Ao desembarcar nos Alpes suíços, um banqueiro, ainda sem se situar do ambiente, diz que é “provável” que a expectativa continue positiva apesar dos casos envolvendo o filho do presidente, Flávio Bolsonaro, e seu ex-assessor Fabrício Queiroz. “Amanhã conheceremos o mood (humor)… espero que positivo”, acrescenta.

Frozen

Ao reclamar do frio de -14º C, um banqueiro avalia que a confiança no governo está mantida. “Mantemos a confiança no governo e seu desejo de realizar e rápido”, afirma, acrescentando que Flávio Bolsonaro e Queiroz têm de ser se explicar como qualquer brasileiro.

Time alpino

Os pesos pesados dos bancos estão no interior da Suíça. Comitivas do Bradesco, Itaú Unibanco e BTG Pactual estão entre os destaques. A cúpula dos bancos públicos não foi ao Fórum.

Siga a @colunadobroad no Twitter

Para ver a Coluna do Broadcast sem o delay assine o Broadcast +

Mais conteúdo sobre:

Fórum Econômico MundialdavosBancos