Novo plano da Oi busca, mais uma vez, evitar diluição de acionistas

Coluna do Broadcast

17 de fevereiro de 2017 | 05h00

A Oi entende que pode parar em pé sem o aporte de terceiros, pelo menos inicialmente. Com uma dívida de R$ 65 bilhões e um caixa de R$ 7 bilhões, a tele acredita ter capacidade de gerar receita para pagar dívidas e seguir operando. Isso, é claro, num cenário em que credores e Anatel aceitem as condições que devem ser apresentadas, em março, em um novo plano de recuperação. Se o plano der certo, os atuais acionistas diluem menos suas posições no capital da empresa e têm a chance de vendê-las por um preço melhor.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: