OEC, ex-Odebrecht, tem novo aval de governança

OEC, ex-Odebrecht, tem novo aval de governança

Gabriel Baldocchi

18 de março de 2022 | 05h25

Fachada da antiga  Odebrecht, hoje Novonor   Foto: Werther Santana/Estadão

No esforço para desvincular a imagem da companhia do escândalo da Lava Jato e o envolvimento nos casos de corrupção, a OEC, braço de construção do grupo Novonor (antiga Odebrecht), conseguiu uma nova certificação que atesta os mecanismos de gestão contra casos de suborno. O selo ISO 37001 já havia sido concedido para as operações brasileiras da companhia e agora foi estendido para os negócios internacionais. A certificação tem validade de três anos.

O grupo fechou em 2016 um dos maiores acordos de leniência contra corrupção no mundo, com uma multa de mais de R$ 8 bilhões, e tenta dar andamento à nova etapa de negócios depois de encerrar no ano passado o monitoramento por autoridades do Brasil e dos EUA.

O negócio de construção, que consolidou o nome do grupo ao longo da história, é uma das apostas da holding para se reerguer. A companhia vem reconquistando contratos, mas ainda está distante do patamar que conquistou no auge dos negócios. Em 2014, no pico, tinha 100 mil empregados. Hoje, são cerca de 10 mil funcionários.

 

Esta nota foi publicada no Broadcast no dia 17/03/22, às 18h45.

O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse.

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Tudo o que sabemos sobre:

OECodebrechtlava-jatogovernança

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.