Oferta de fundo do BTG pela Infraco, da Oi, inclui desenho do conselho

Oferta de fundo do BTG pela Infraco, da Oi, inclui desenho do conselho

Circe Bonatelli

27 de janeiro de 2021 | 05h05

A oferta vinculante encaminhada pelo fundo de investimentos em participações (FIP) Economia Real, sob gestão do banco BTG Pactual, para a Infraco, unidade de negócios de fibra ótica da Oi, inclui um acordo de acionistas com esboço do futuro conselho de administração da companhia. A iniciativa de embutir esse desenho na oferta faz parte da estratégia do banco para acelerar o fechamento da aquisição caso saia vencedor do leilão da Infraco, que também tem na disputa o fundo americano Digital Colony.

Alto escalão. Segundo fontes, a proposta é estruturar um conselho de administração com nove membros, dos quais quatro indicações partirão da Oi e cinco do FIP do BTG, que seria o sócio majoritário do negócio, com 51% de participação. Para a presidência do colegiado está previsto o sócio e líder de negócios digitais do BTG, Amos Genish, que já presidiu a Telefônica Brasil (dona da Vivo) e a Telecom Itália (dona da TIM). O gestor do FIP, Renato Mazzola, também ocuparia um assento.

Diretoria. Os nomes para compor a direção também já estão no radar, segundo fontes. O presidente executivo seria um profissional de mercado, com experiência em telecomunicações, enquanto o diretor financeiro será um executivo que já atua em empresa sob gestão de fundos do BTG. Procurado, o banco não comenta.

Próximos capítulos. O plano de recuperação judicial da Oi prevê a venda de uma fatia entre 25% e 51% da Infraco, tendo como ponto de partida o valor mínimo de R$ 20 bilhões para 100% da empresa. Após receber as ofertas vinculantes, a tele decidirá nas próximas semanas quem terá preferência para dar o lance final no leilão judicial, previsto para ocorrer até o segundo trimestre.

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Tudo o que sabemos sobre:

BTG PactualInfracoOiDigital Colony

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.