Oferta de Tim e Vivo para Oi deve sair em 2 a 3 meses

Oferta de Tim e Vivo para Oi deve sair em 2 a 3 meses

Circe Bonatelli

05 de maio de 2020 | 05h00

A Telefônica (dona da marca Vivo) e a TIM planejam colocar na mesa uma proposta de compra das redes móveis da Oi daqui dois a três meses, aproximadamente, disseram à Coluna fontes envolvidas nas negociações. As companhias têm trabalhado durante a quarentena nas diligências para análise dos ativos.

Quais os termos. As redes móveis da operadora valem em torno de R$ 15 bilhões, segundo cálculos de analistas de mercado. Em uma potencial transação, as redes serão apartadas dentro de “unidades produtivas isoladas” (UPI) para que fiquem separadas dos demais ativos e dívidas da Oi, que segue em recuperação judicial.

Permissão. Mesmo que as concorrentes façam uma proposta logo, a Oi só poderá fechar negócio depois de levar o assunto para uma assembleia geral de credores, o que está previsto para o segundo semestre. Isso porque a venda da parte móvel altera a estrutura da Oi e os termos do plano de recuperação aprovado pelos credores no fim de 2018.

Fatias. A divisão da rede móvel da Oi entre a TIM e a Telefônica não vai ser feita em fatias iguais. Para a transação ficar de pé, cerca de 60% a 70% dos ativos da Oi vão ficar com a TIM, de acordo com entendimento prévio entre as empresas. A divisão desigual será necessária para evitar que a Telefônica, líder de mercado, fique ainda mais distante das concorrentes e acabe sendo impedida pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) de efetivar a compra.

Resposta. Procuradas, as companhias não comentaram.

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: