Oi acerta venda da InfraCo, mas ainda não fechou conversas com detentores de títulos

Oi acerta venda da InfraCo, mas ainda não fechou conversas com detentores de títulos

Cynthia Decloedt

14 de abril de 2021 | 05h20

Imagem do prédio da Oi

A Oi ainda não fechou as conversas com os detentores de US$ 1,65 bilhão em títulos de dívida da empresa emitidos no exterior, que envolvem ajustes na escritura desses papéis relacionados a novos empréstimos e venda de ativos previstos no aditamento ao plano de recuperação judicial da tele. O fato de não ter chegado lá nas discussões com os credores não impede a Oi de prosseguir com a venda da InfraCo, braço de infraestrutura de fibra óptica, para fundos do BTG Pactual. Mas, em algum momento, a transação de R$ 13 bilhões de venda da InfraCo exigirá que a escritura dos bonds esteja alinhada com a dos demais credores.

A Oi precisa da adesão de 50% mais 1% dos bondholders para prosseguir com seu novo plano de reorganização, aprovado em assembleia geral de credores e homologado pelo juiz no ano passado. As negociações com os detentores de bonds duram dois meses. As exigências desse grupo envolvem um prêmio maior do que o oferecido pela empresa para fazer as alterações nas escrituras e nas condições para os novos empréstimos e a venda dos ativos.

Empréstimos de R$ 7,5 bilhões

Alguns interlocutores entendem que a concordância dos bondholders com as mudanças na escritura de seus papéis não tem qualquer relação com a venda de ativos. Elas estariam somente vinculadas a autorizações de empréstimos de até R$ 7,5 bilhões que a Oi tinha como meta realizar: R$ 2,5 bilhões (para as operações de fibra ótica) e R$ 5 bilhões (Oi Móvel). Procurada, a Oi não comentou.

Esta reportagem foi publicada no Broadcast+ no dia 13/04, às 17h37.

O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse.

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Siga a @colunadobroad no Twitter

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.