Oi finaliza reestruturação de dívida com bancos estrangeiros

Economia & Negócios

20 de julho de 2018 | 04h00

A Oi, dona do maior processo de recuperação judicial da América Latina, concluiu o processo de reestruturação de sua dívida com os bancos estrangeiros nesta semana, envolvendo US$ 1,6 bilhão. Ao todo, são 15 instituições presentes na lista de credores da tele, incluindo bancos comerciais e agências de crédito à exportação (Export Credit Agencies – ECAs). A formalização pelos bancos estrangeiros das condições aprovadas na assembleia de credores, de dezembro do ano passado, indica que a Oi, por enquanto, segue afastada de novos problemas. A empresa enfrentou diversos embates antes da aprovação do plano junto a credores, um ano e meio depois do pedido de recuperação feito à Justiça.

Só em cinco. Pelo o que foi aprovado na assembleia de credores de dezembro de 2017, os bancos estrangeiros receberão o montante em um prazo total de 17 anos, com cinco anos de carência para pagamento de juros e amortização. Após esse período, as amortizações serão semestrais durante 12 anos. A remuneração é de 1,75% ao ano, em dólar.

Por aqui. A etapa junto aos bancos brasileiros já foi formalizada com a maioria. Só faltam as instituições que aguardam a emissão de debêntures que substituirão os créditos antigos. Procurada, a Oi não comentou.

Tendências: