PagSeguro analisou Guide e quer ter uma plataforma de investimentos

PagSeguro analisou Guide e quer ter uma plataforma de investimentos

Fernanda Guimarães e Cynthia Decloedt

07 de outubro de 2020 | 05h30

 

Na busca para entrar no cada vez mais competitivo mercado de plataformas de investimentos, a empresa de meios de pagamento PagSeguro, que é listada na bolsa de Nova York, já analisou a compra da corretora Guide, mas até aqui o negócio não andou. Recentemente, a empresa tentou adquirir a Easynvest, que acabou sendo vendida para a fintech Nubank, e vem demonstrando, nos bastidores, que tem apetite grande para entrar nesse segmento. O PagSeguro já deixou de ser apenas uma empresa de meios de pagamento. No ano passado, por exemplo, lançou o PagBank, sua conta digital. A equipe para a área de investimentos já começou a ser montada e, com caixa muito robusto, a empresa irá às compras, caminho mais célere para dar escala ao negócio.

Em busca. A Guide é controlada pela chinesa Fosun, que há quase um ano contratou o Credit Suisse para vender uma participação minoritária. Nesse formato, contudo, embora os interessados apareçam, as conversas não vão adiante. Não há praticamente quem não tivesse olhado a oportunidade. Mais recentemente, houve conversas com o BTG Pactual, que está na busca de ganhar musculatura de sua plataforma, que também acabaram indo para o congelador. Como o processo se arrasta há vários meses, internamente, haveria já um clima de certa insatisfação, o que teria provocado a saída de alguns agentes autônomos.

China X EUA Os chineses, que inicialmente queriam manter o controle e atrair um sócio estratégico, para alavancar mais o negócio, tem se mostrado inclinados a vender até a totalidade de sua participação, mas tudo está esbarrando na questão do preço. Os chineses já entendem que o seu ativo se valorizou, dada a forte movimentação que a indústria de investimento vive. O resultado das eleições dos Estados Unidos também está pesando nas decisões de investimento externo dos chineses, não só deles, mas de todos os que tem negócios fora de seu país. Isso porque, uma piora nas relações de ambos países, o que ficaria mais evidente na eventual vitória de Donald Trump, pode reduzir o apetite para novos investimentos em países sob influência dos EUA.

Na prateleira. Guide seria uma das únicas, de seu porte, ainda disponíveis para a entrada de um novo sócio. Com cada vez mais competição nesse mercado as corretoras com algum porte já foram negociadas. Ainda neste ano o Credit Suisse fechou acordo para a compra de uma fatia na Modalmais e nesta semana o Santander anunciou a compra do controle da Toro Investimentos. Procurada, a Guide disse que “segue seu plano de expansão em todos os segmentos de negócios e clientes e não comenta boatos do mercado”. PagSeguro não comentou até o momento.

Esta reportagem foi publicada no Broadcast+ no dia 06/10/2020 às 14:51:35 .

O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse http://www.broadcast.com.br/produtos/broadcastplus/

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Tudo o que sabemos sobre:

PagSeguroinvestimentos#guide

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: