País sofrerá menos do que Europa em variação das projeções de queda de PIB, diz consultoria

País sofrerá menos do que Europa em variação das projeções de queda de PIB, diz consultoria

Cristiane Barbieri

26 de maio de 2020 | 05h32

O comércio permanece fechado no centro do Rio de Janeiro/ FOTO: WILTON JUNIOR / ESTADÃO

Mesmo com a falta de coordenação nas políticas públicas de combate à pandemia, o tombo da economia brasileira deve ser menor do que o da Europa, segundo a empresa especializada em fusões, aquisições e avaliações Duff & Phelps. Para Alexandre Pierantoni, diretor-executivo da consultoria no País, o motivo é o perfil exportador da economia brasileira.

Como o Brasil entrou depois na crise causada pela pandemia e a China – o principal parceiro comercial do País – projeta crescimento de 1,4% para este ano, os sinais são positivos para a economia nacional. Nas contas da consultoria, a variação das projeções da queda do PIB europeu é de 558%, enquanto no Brasil deve retrair em 340%. Na zona do euro, as projeções para o PIB em 2020 foi de alta de 1,1% para queda de 4,8%. Aqui, foi de crescimento de 2,5% para retração de 6%.

Falta de coordenação política traz desgaste à imagem

Segundo Pierantoni, a falta de coordenação política tem maior impacto interno no Brasil. Externamente, continua existindo a demanda de compra por produtos brasileiros como soja, laranja, carne e café. Ele afirma que, do ponto de vista internacional, o impacto é maior no desgaste da imagem do País, “mas do ponto de vista de consumo o efeito não é tanto”.

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Siga a @colunadobroad no Twitter

Tudo o que sabemos sobre:

PIBcoronavírus

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.