Pânico nos mercados faz volume de ETF disparar para US$ 1,4 tri

Pânico nos mercados faz volume de ETF disparar para US$ 1,4 tri

Altamiro Silva Junior

19 de março de 2020 | 07h11

O pânico no mercado financeiro mundial, com o avanço da pandemia de coronavírus e o temor de recessão mundial, provocou forte aumento dos negócios com fundos de índices (ETFs, na sigla em inglês) em Wall Street e outras partes do mundo. O volume de negócios com estes papéis bateu no nível recorde de US$ 1,4 trilhão nos Estados Unidos só na semana passada, uma das mais tensas para as bolsas desde a crise de 2008, mostra estudo da BlackRock, a maior gestora de recursos do mundo.

Ajuste. A explicação da BlackRock para o maior interesse por ETFs é que investidores, além de alocar capital nestas aplicações, que replicam os mais diferentes índices, usam também como instrumento de gerenciamento de risco e para ajuste de posições. De 24 de fevereiro ao último dia 13, os ETFs responderam por 38% do volume de negócios das bolsas americanas, ante média de 27% em 2019, mostra o estudo.

Geral. O aumento das negociações de ETFs também foi visto em outras partes do mundo. No México, o volume diário na semana de 9 a 13 de março bateu em US$ 1 bilhão, três vezes a média do mercado no ano passado.

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.