Para empresários, risco cibernético é principal ameaça a empresas no mundo

Para empresários, risco cibernético é principal ameaça a empresas no mundo

Aline Bronzati

29 de janeiro de 2020 | 04h17

Os incidentes cibernéticos são a principal ameaça a empresas ao redor do mundo, segundo o estudo Allianz Risk Barometer 2020. É a primeira vez que o tema, presente em 39% das respostas, assume a liderança do ranking que mede o risco comercial mais preocupante no meio corporativo e que começou a ser divulgado em 2012. Na sequência, aparece o risco de interrupção dos negócios.

Salto. As ameaças cibernéticas vêm crescendo rapidamente nos últimos anos, impulsionadas pelo aumento da dependência de dados e sistemas de tecnologia de informação. Há sete anos, o cyber ocupava o 15º lugar, com apenas 6% das respostas.

Inverteu. No Brasil, os riscos cibernéticos já lideravam no ano passado como a ameaça mais preocupante para os negócios. Esse ano, porém, caíram para o segundo posto, deixando o primeiro para interrupção dos negócios.

Ameaça. Com o meio ambiente em evidência, as mudanças climáticas alcançaram seu patamar mais alto – em 7º sétimo lugar – em toda a história do Risk Barometer. É um dos três principais riscos na região Ásia-Pacífico, sobretudo na Austrália, Hong Kong, Índia e Indonésia. Um aumento nas perdas físicas é o que os gestores de risco mais temem (49% das respostas).

Guinness. A pesquisa anual da alemã Allianz sobre os principais riscos para empresas bateu recorde de respostas em seu nono ano. Foram mais de 2.700 especialistas ouvidos em mais de 100 países, incluindo o Brasil.

Notícia publicada no Broadcast no dia 28/01/2020, às 07:09:02

Contato: colunabroadcast@estadao.com
Siga a @colunadobroadcast no Twitter

 

Tudo o que sabemos sobre:

Allianzataques cibernéticos

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.