PDG tentará evitar confronto com bancos em pedido de recuperação

Coluna do Broadcast

27 Novembro 2016 | 08h50

A PDG Realty deve entregar um pedido de recuperação judicial que evite fechar o diálogo com os bancos, dos quais necessita para seguir financiando obras e mutuários. Para isso, a incorporadora irá distinguir as dívidas das unidades do grupo e as da holding, para fugir de disputas judiciais como a travada entre a Viver e o Santander. Alguns dos empréstimos do Santander para unidades da Viver estavam protegidos por um artigo da lei das incorporadoras, que blinda a transferência de bens e direitos entre unidades. A Viver, no entanto, agrupou todas as garantias e dívidas como se fossem uma só no pedido de recuperação entregue em outubro.

Dezembro

A PDG quer levar o pedido à Justiça até, no máximo, o começo da segunda semana de dezembro. Com o recesso do judiciário previsto para meados do mês, a incorporadora busca assegurar que passará o final de ano protegida de seus credores. Procurada, a PDG continua sem se pronunciar.

Siga a @colunadobroad no Twitter