Pedro Parente deve deixar Conselho da B3 para assumir colegiado da BRF

Pedro Parente deve deixar Conselho da B3 para assumir colegiado da BRF

Coluna do Broadcast

18 de abril de 2018 | 19h24

O presidente da Petrobras, Pedro Parente, deve deixar o Conselho de Administração da B3, que preside desde 2013, para assumir o comando do colegiado da processadora de alimentos BRF. A movimentação, contudo, depende do aval dos acionistas para o novo conselho da BRF em assembleia dos acionistas marcada para a próxima semana, no dia 26.

Parente foi indicado ao cargo na BRF pela Península, de Abílio Diniz, hoje o presidente do conselho da empresa.

Para poder assumir o conselho da BRF, Parente precisa deixar a cadeira na Bolsa. Isso porque pelo acordo assumido com o governo ao se tornar presidente da Petrobras, há dois anos, foi acertado que o executivo não poderia ficar em mais de um conselho fora do Sistema Petrobras.

Na época, a BM&FBovespa acabava de fechar acordo de fusão com a Cetip e permanecer no cargo foi um dos pontos que Parente debateu antes de aceitar ir para a Petrobras.

Parente disse que se sentia responsável pelo processo de fusão da Bolsa, que estava naquele momento em andamento, e que por isso seu desejo era de prosseguir no cargo.

Agora, contudo, a situação é outra. A fusão já completou um ano, após os avais regulatórios e a integração das companhias está em ritmo acelerado e deve se encerrar no fim do ano.

O vice-presidente do Conselho de Administração da B3, Antonio Quintella, ex-presidente do Credit Suisse e sócio e presidente do Canvas Capital, deve assumir o comando do colegiado.

Siga a @colunadobroad no Twitter

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: