Pesquisa da Oi revela que seus funcionários querem home office após quarentena

Pesquisa da Oi revela que seus funcionários querem home office após quarentena

Circe Bonatelli

28 de maio de 2020 | 05h09

A Oi realizou uma pesquisa com seus funcionários para servir de termômetro sobre qual será a popularidade do home office após o fim da quarentena. Esse modelo de trabalho cresceu rapidamente por conta da pandemia de coronavírus, e há fortes sinais de que ganhará força daqui em diante.

Maioria dos funcionários quer continuar em casa

A Oi tem 11 mil empregados trabalhando remotamente desde março, 84% do total de sua força de trabalho. Dos cerca de 10.400 funcionários que responderam a pesquisa, sem contar gestores, 78% disseram ter interesse em continuar com o home office após o fim do isolamento. A visão do gestor também vai na mesma direção: 95% recomendaram o trabalho remoto para os respectivos times, sendo que 65% deles recomendam que suas equipes façam de 2 a 3 dias de home office no futuro.

Para 38% dos funcionários, a produtividade aumentou, enquanto 57% afirmaram que o desempenho se manteve igual. A pesquisa está sendo usada pela direção da Oi como insumo para decisões sobre a ampliação do home office após a pandemia. Essa modalidade está presente na operadora desde 2018 e, mesmo antes do cenário de isolamento social, 22% dos funcionários já trabalhavam em casa.

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Siga a @colunadobroad no Twitter

Tudo o que sabemos sobre:

Oihome officecoronavírus

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.