Petrobras se posiciona sobre compra da Linx pela Stone ao Cade

Petrobras se posiciona sobre compra da Linx pela Stone ao Cade

Fernanda Guimarães

04 de novembro de 2020 | 05h00

De maneira inesperada, a Petrobras também opinou sobre a compra da Linx pela Stone, junto ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). Ao ser instada pelo órgão antitruste, a Petrobras buscou entender a razão do questionamento e identificou que os contratos firmados com as empresas haviam sido assinadas com a BR Distribuidora, que deixou de ser controlada pela estatal, após vendas de ações via oferta em Bolsa.

Colaboração. Mesmo assim, a Petrobras citou em documento entregue ao Cade que, para colaborar com a defesa da concorrência, foi atrás das considerações de sua ex-subsidiária integral. O documento entregue diz que quase todos os postos BR Mania utilizam a solução de automação da Linx.

Agora sim. A BR, assim, disse que pode haver risco em relação à priorização ou à preferência da Stone para integração dos sistemas de gestão da Linx, em detrimento de outros meios de pagamento ou a criação de barreiras de entrada de novas empresas de adquirência (maquininhas). Apesar disso, afirmou entender que a relação entre os serviços de soluções de pagamento e software de gestão empresarial é de complementariedade. Procuradas, Linx e Stone não responderam até o momento.

Esta reportagem foi publicada no Broadcast+ no dia 03 /11/2020 às 15:29:29 .

O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse http://www.broadcast.com.br/produtos/broadcastplus/

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: