Plataformas de investimento serão caminho para fintechs irem para o azul

Plataformas de investimento serão caminho para fintechs irem para o azul

Fernanda Guimarães

13 de setembro de 2020 | 05h05

 

A compra da corretora Easynvest pelo Nubank, o maior banco digital no Brasil, é um movimento que ainda irá se repetir no mercado brasileiro. Por trás da aquisição da corretora pela fintech, está a busca por rentabilidade para os negócios das novatas do mercado financeiro, que ainda não saíram do vermelho. Antes, o banco Inter e o Modalmais fizeram o mesmo movimento.

Polpudo. As plataformas de investimento – vide a XP – têm avaliação de preço bastante alta: avançam rapidamente nos negócios com os juros baixíssimos no País, que provocaram uma corrida de pessoas físicas ao mercado acionário.

Precisa de vitamina. As fintechs, por sua vez, têm encontrado dificuldade em chegar ao lucro por meio do crédito. Com uma base de clientes em crescimento rápido, os bancos digitais conseguem, com as plataformas, incrementar esse número e melhorar o retorno com seus investimentos. Outros negócios semelhantes, de união de fintechs com plataformas, já estão em negociação.

Contato: colunabroadcast@estadao.com

 

Esta reportagem foi publicada no Broadcast+ no dia 11/09/2020 às 13:42

O Broadcast+ é a plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse
http://www.broadcast.com.br/produtos/broadcastplus/

Tudo o que sabemos sobre:

fintechseasyinvestNubank

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: