Prefeitura de SP dobra leilão para construir acima do limite a pedido de incorporadores

Prefeitura de SP dobra leilão para construir acima do limite a pedido de incorporadores

Circe Bonatelli

09 de fevereiro de 2022 | 05h40

Trecho da ciclovia da Avenida Luiz Carlos Berrini, na capital   Foto: Marcio Fernandes/Estadão

A Prefeitura de São Paulo dobrou o tamanho do leilão de Certificados de Potencial Construtivo (Cepacs) na Operação Urbana Água Espraiada atendendo a pedidos de empresários do mercado imobiliário. A previsão inicial era de ofertar 160 mil títulos, mas o total foi elevado para 320 mil. O certame ocorrerá em 8 de março e pode movimentar até R$ 696 milhões, considerando o preço mínimo por unidade fixado em R$ 2.175.

Os Cepacs são títulos que permitem às incorporadoras erguerem prédios acima dos limites estabelecidos por lei em cada bairro. Os recursos arrecadados pelos cofres públicos vão para obras de infraestrutura e mobilidade na região. Além das empresas de construção, os leilões também atraem investidores, que podem revender os Cepacs no mercado secundário, em Bolsa.

A Operação Urbana Água Espraiada abarca trechos da Marginal Pinheiros, Berrini, Brooklin, Chucri Zaidan e Jabaquara. Esses são alguns dos principais eixos de crescimento do mercado imobiliário paulistano, o que explica a movimentação de empresários junto às prefeituras para aumentar a oferta do leilão. O último certame da Operação Urbana Água Espraiada aconteceu em 2012. É muito tempo, na visão das incorporadoras, que dependem dos Cepacs para novos projetos.

 

Esta nota foi publicada no Broadcast no dia 08/02/22, às 09h38.

O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse.

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.