Presidente da Usiminas deve sofrer pressão adicional após veto de sócia

Presidente da Usiminas deve sofrer pressão adicional após veto de sócia

Coluna do Broadcast

12 de janeiro de 2017 | 05h00

IPATINGA /MG 25-02-2014 ECONOMIA NEGOCIOS USIMINAS FOTO DIVULGACAO

(Foto: Divulgação)

Na Usiminas, nada transcorre com facilidade. Depois de a Sumitomo, sócia da siderúrgica na subsidiária de mineração, a Musa, ter vetado a liberação do caixa da empresa, o presidente da Usiminas, Rômel de Souza, que voltou ao cargo após decisão judicial, deve ser mais pressionado.

Ampulheta

Agora, o executivo corre contra o tempo: tem até junho para liberar os recursos, visto que o movimento faz parte do acordo firmado entre a empresa e seus credores para o alongamento de suas dívidas. Com a negativa formal de sua sócia realizada em Assembleia, a Usiminas deve tentar reverter essa negativa na Justiça. As ações preferenciais fecharam ontem com queda de 1,99%, a R$ 4,43.

Siga a @colunadobroad no Twitter

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.