Pressionada, Constellation repactua condições de plano de RJ

Pressionada, Constellation repactua condições de plano de RJ

Cynthia Decloedt

05 de julho de 2020 | 05h00

A pandemia do novo coronavírus e a queda vertiginosa nos preços do petróleo obrigaram a Constellation, prestadora de serviço de perfuração de petróleo, a repactuar condições de seu plano de recuperação judicial, homologado no ano passado. O ajuste no plano foi necessário depois de a Petrobras, seu maior cliente, comunicar a revisão nos contratos, o que deve reduzir o fluxo de caixa.

Ajuste mínimo… O novo acordo da Constellation com credores – bancos estrangeiros, Bradesco e detentores de bonds (títulos de dívida emitidos no exterior) – manteve o fluxo do pagamento e premissas como prazos e valores. Ajustou, porém, a forma de pagamento este ano e o patamar de caixa mínimo. A Constellation é controlada por dois fundos e tinha dívidas de mais de US$ 1,7 bilhão no pedido de recuperação judicial, conduzido pelo escritório Galdino & Coelho Advogados. A empresa pertenceu à família Queiroz Galvão, que teve algumas de suas empresas, incluindo a Constellation, antiga Queiroz Galvão Óleo e Gás, investigada no âmbito da Operação Lava Jato.

…Mas flexível. A companhia obteve autorização para usar contas garantias para honrar compromissos com juro junto a bancos estrangeiros para este ano, com o objetivo de preservar seu caixa operacional. Também foi reduzido para US$ 25 milhões o caixa mínimo para o fim deste ano, para US$ 60 milhões em 2021 e a um mínimo de US$ 75 milhões nos anos seguintes.

Zerado. O fundo de investimento norte-americano Pimco, detentor de bonds, contestou o plano de recuperação judicial aprovado, mas perdeu. A Constellation foi vencedora também de outro processo movido por seu ex-acionista Alperton, que concordou receber cerca de US$ 2 milhões para encerrar um litígio no qual reclamava US$ 300 milhões. O caso envolvia a tomada das ações da Alperton pela Constellation, que davam garantia a compromissos de aporte de capital para a construção de sondas, que não foram cumpridos. Procurados, a Constellation e o escritório Galdino & Coelho Advogados não quiseram comentar.

Contato: colunadobroadcast@estadao.com

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: