Prestes a deixar a Bolsa, Getnet faz maquininhas ‘durarem mais’ para reduzir custos

Prestes a deixar a Bolsa, Getnet faz maquininhas ‘durarem mais’ para reduzir custos

Matheus Piovesana

03 de agosto de 2022 | 17h30

Crescer está mais caro para qualquer empresa, e ainda mais para as adquirentes (de maquininhas de cartão), que financiam seus principais produtos a um custo atrelado à taxa Selic. Para a Getnet, a conta ficou mais cara em especial no segmento em que a empresa mais quer avançar, o de pequenos comerciantes. A solução foi fazer com que as maquininhas durem mais – ao menos sob o ponto de vista contábil.

Em abril, a companhia mudou o período de vida útil dos equipamentos de três para cinco anos. Com a alteração, a depreciação anual caiu de 33% para 20%, o que ampliou o lucro em R$ 42 milhões somente no segundo trimestre do ano. Cielo, PagSeguro e Stone seguem o mesmo padrão.

Essa mudança de caráter contábil é importante em um setor onde cada centavo de eficiência conta. Em junho, a PagSeguro perdeu mais de R$ 5 bilhões após divulgar o balanço do primeiro trimestre diante do que os analistas enxergaram como uma tendência de consumo de caixa para recompor os estoques de maquininhas.

“Estamos reduzindo a demanda por capex (investimentos) nos próximos anos, e será uma grande redução”, disse o vice de finanças da empresa, André Parize. Segundo o CEO, Cassio Schmitt, o foco da Getnet é aumentar a base de clientes. Ou seja: colocar mais maquininhas na praça. Se o impacto contábil deste crescimento for mais brando, tanto melhor.

“O custo das vendas totalizou R$ 242 milhões (queda de 11% em um trimestre, de 12% em um ano e 14% melhor que a nossa estimativa), principalmente graças à revisão da vida útil dos terminais”, afirmou o analista Eduardo Rosman, do BTG Pactual, em relatório enviado a clientes.

A mudança também se torna útil diante da maior pressão no segmento de pequenos comerciantes, que é o foco de crescimento da Getnet. Tão rentável quanto disputado, esse cliente ficou mais caro de atingir, o que explica, em grande parte, a queda de 2% na base de clientes da companhia. “De 2023 em diante, devemos retomar o crescimento da base de clientes”, disse Parize.

Ímpeto

O Bradesco BBI considerou que os números da Getnet foram fracos, refletindo algo que o banco espera para todo o setor. “Vemos o resultado como negativo para as adquirentes, dado que a melhoria da receita com os recentes reajustes só foi o suficiente para compensar despesas financeiras mais altas”, afirmou o analista Gustavo Schroden.

Primeira das líderes do setor a reajustar preços para os clientes, a Getnet mostrou alguma perda de ímpeto na rentabilidade no trimestre. A companhia conseguiu crescer nos spreads (diferença entre custo de captação e juros cobrados dos clientes) do adiantamento de recebíveis, mas relatou que novos players estão entrando no jogo, com estratégias de preço agressivas.

“A pressão no adiantamento é de competidores que são novos nesta arena”, afirmou o vice de finanças. Ele não detalhou o movimento, mas o contexto do setor é de uma disputa de todos os players pelos recebíveis dos comerciantes, agora visíveis a todo o mercado, via registro de recebíveis.

Deslistagem

A empresa está em vias de deixar o mercado, com a compra das ações em circulação pela PagoNxt, subsidiária global de pagamentos do Grupo Santander. O edital da oferta de aquisição ainda está sob análise pela B3.

“O processo está andamento, e os passos serão divulgados ao mercado”, disse o vice-presidente de Relações com Investidores e ESG, Luciano Ferrari. Como mostrou o Broadcast, a PagoNxt considerou que, diante da baixa liquidez do papel, a conta de manter a companhia com o capital aberto no Brasil e nos Estados Unidos deixou de compensar.

Mesmo com o fechamento do capital sem data definida, analistas acreditam que não há espaço para grandes arbitragens de preço do papel – a PagoNxt pagará R$ 4,72 por Unit, ante os R$ 4,54 atuais. “Dado o potencial limitado de alta a partir de agora, reiteramos a nossa preferência pela Cielo”, afirmou Rosman, do BTG.

Esta reportagem foi publicada no Broadcast+ no dia 02/08/2022, às 14:40.O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse. 

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Tudo o que sabemos sobre:

GetNetmaquininhaslucro

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.