Produtor de grãos Scheffer testa público e atrai forte demanda para CRA

Produtor de grãos Scheffer testa público e atrai forte demanda para CRA

Cynthia Decloedt

02 de dezembro de 2020 | 05h15

Grande produtor de grãos e fibra no Centro-Oeste, o Grupo Scheffer conseguiu atrair R$ 900 milhões em demanda para uma operação em certificados de recebíveis do agronegócio (CRA) na qual esperava captar R$ 200 milhões. Dois fatores provocaram tamanho interesse. O primeiro é o fato de o investimento ser isento de imposto de renda, o que tem sido um “plus” para quem quer diversificar a carteira com títulos de crédito privado. O segundo vem de seu setor de atuação, o agronegócio, resiliente mesmo em tempos de pandemia e promissor para 2021.

Mais barato. Como a alta demanda, a taxa de remuneração dos CRAs, que representa o custo para a empresa, caiu de 5,15% para 4,13%. A colocação foi coordenada pela XP e pelo BB Investimentos.

Geral. Poucas ofertas de títulos de crédito privado, como CRAs e debêntures, têm sido feitas com esforços amplos de colocação, ou seja, para um público acima de 50 investidores. Na pandemia, o ambiente para esse tipo de operação ficou bastante desafiador por conta da turbulência nos preços dos papéis.

Espaço. No segundo semestre, porém, as condições melhoraram e os CRAs da Scheffer são a terceira oferta com esforços amplos feita no mercado. As outras duas foram uma emissão de mais de R$ 900 milhões de debêntures de infraestrutura da Eneva e um CRA de R$ 1,9 bilhão do Grupo JBS. Ambos, com o benefício de isenção de imposto de renda.

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Siga a @colunadobroadcast no Twitter

Tudo o que sabemos sobre:

#cra#agro

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.