PwC pede R$ 45 mi para administrar a recuperação judicial da PDG

Coluna do Broadcast

02 de abril de 2017 | 05h00

A PwC, administradora da recuperação judicial da incorporadora PDG Realty, entrou com uma petição na Justiça para que sua remuneração seja fixada em R$ 45 milhões, a ser paga em 36 meses. A esse valor seriam somadas ainda despesas que podem ocorrer ao longo do processo.

Argumentos
Na ação, a PWC destaca que o processo em curso da PDG é um dos mais complexos do País e que a empresa já “alocou extensa equipe multidisciplinar, com expertise econômico-financeira e jurídica para exercer suas funções”. A administradora argumenta ainda que o montante é necessário para “viabilizar o perfeito funcionamento dessa estrutura que visa a dar segurança e celeridade ao processo de recuperação judicial”. Em 2016, o prejuízo líquido da PDG subiu 92%, para R$ 5,3 bilhões. Procurada a PwC não comentou.

Perdeu
A PwC também estava com o maior pedido de recuperação judicial brasileiro nas mãos, o da Oi, mas foi substituída pela consultoria BDO, indicada pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), após uma prestação de serviços classificada como “deficiente”.

Siga a @colunadobroad no Twitter