Queda na venda direta anima varejo para negócio de cosméticos

Coluna do Broadcast

27 Novembro 2016 | 08h52

Enquanto a venda de cosméticos porta a porta vem cambaleando no Brasil, quem sorri é o varejo. “Está na cara que a mulher que vai marcar um encontro à noite não quer ter que ligar para alguém para comprar um batom”, disse um alto executivo de uma rede de farmácias. (Dayanne Sousa)

 

Siga a @colunadobroad no Twitter