Rede D’Or vai encerrar IPOs de 2020

Rede D’Or vai encerrar IPOs de 2020

Fernanda Guimarães

25 de novembro de 2020 | 05h20

A oferta jumbo da Rede D’Or, que pode ultrapassar R$ 12 bilhões e deve marcar uma das maiores ofertas da história da Bolsa brasileira, vai fechar o ano para emissão de ações. Apesar dos pesares, 2020 significou recordes na B3. Até aqui, já foram emitidos cerca de R$ 101 bilhões – dar um salto a R$ 113 bilhões com a listagem da dona dos Hospitais São Luiz. No total, serão 26 novas empresas na Bolsa, penas este ano. Em 2019, ano do recorde anterior, o volume de emissões foi de R$ 90 bilhões.

Turbulência. Outras ofertas iniciais de ações (IPO, na sigla em inglês) eram aguardadas para dezembro, mas investidores já mandaram a mensagem de que é melhor esperar o começo de 2021. Entre os motivos está o fato de que os gestores, por exemplo, não querem interferência nos fundos (às vésperas de entregar o resultado anual) causada por ações que acabam de estrear – e que podem começar sua jornada em queda, sem tempo no exercício de se recuperar. No caso da Rede D’Or, o jogo é outro. A demanda está alta. A precificação será em 8 de dezembro e sua estreia na Bolsa, no dia 10.

contato: colunadobroadcast@estadao.com

Siga a @colunadobroad no Twitter

Tudo o que sabemos sobre:

#IPO #bolsa

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: