Safra criou cargo para trazer Joaquim Levy em busca de ‘nome de peso’

Safra criou cargo para trazer Joaquim Levy em busca de ‘nome de peso’

Aline Bronzati

23 de junho de 2020 | 05h05

O cargo que o ex-BNDES Joaquim Levy irá ocupar no banco Safra não existia: foi criado sob medida para ele. Ao recrutá-lo, o Safra segue a estratégia de outros competidores que buscam nomes de peso no mercado, principalmente com atuação no setor público, para ganhar holofotes. Levy vai tocar a área de macroeconomia e relações com o mercado do banco. Procurado, o Safra disse que se limitaria às informações oficiais divulgadas sobre a nova contratação.

Currículo de Joaquim Levy inclui BNDES e Bando Mundial

Há cerca de um ano, Levy deixava o comando do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), após uma rápida passagem pela instituição. Escolhido pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, pediu demissão após desentendimentos com o presidente Jair Bolsonaro. O engenheiro naval, de 59 anos, tem passagens pelos governos Dilma, FHC e Lula. Ocupou ainda cadeiras no Banco Mundial e no Bradesco, como responsável pela gestora de recursos, a BRAM.

Levy chega ao Safra em meio à nova estratégia do banco da família Safra, de disputar um espaço no varejo bancário, ao lado dos pesos pesados do segmento. Com mais de R$ 200 bilhões em ativos totais ao fim de março, a instituição viu seu lucro líquido encolher 8,60% no primeiro trimestre, para menos de R$ 500 milhões ante um ano.

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.