Seguradoras somam US$ 9,3 bi em perdas por colisões e quedas na aviação

Seguradoras somam US$ 9,3 bi em perdas por colisões e quedas na aviação

Aline Bronzati

25 de dezembro de 2019 | 04h00

Colisões e quedas foram responsáveis por mais da metade dos valores indenizados (57%) por seguradoras no segmento de aviação entre os anos de 2013 e 2018, em um total de US$ 9,3 bilhões em perdas no mundo. A conclusão é de estudo sobre o segmento feito pela resseguradora Allianz Global Corporate & Specialty (AGCS) em parceria com a Universidade Aeronáutica Embry-Riddle. Foram analisados mais de 50 mil sinistros no setor de aviação, com valores somados que ultrapassam os US$ 16,3 bilhões.

Além… O fato de colisões e quedas serem a principal causa de sinistros no segmento não se deve somente aos maiores desastres aéreos. A estatística inclui aterrissagens forçadas, colisões com aves e incidentes em solo. Mão de obra defeituosa e manutenções mal executadas são a segunda maior causa de sinistros, seguidas por falha mecânica.

… do horizonte. Novos desafios estão surgindo, segundo o relatório da AGCS. Estima-se que serão necessários cerca de 800 mil novos pilotos para os próximos 20 anos, o dobro da força de trabalho atual, o que acende um alerta para o processo de recrutamento e treinamento. Por outro lado, incidentes em solos ainda mais caros, suporte financeiro (lucros cessantes) em eventos cibernéticos e acidentes envolvendo drones, além de problemas decorrentes de turbulência, impactarão o cenário futuro de perdas.

Notícia publicada no Broadcast dia 24/12/2019, às 09:48:36

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.