Seguro de automóvel deixa de arrecadar US$ 76 bi na América Latina

Seguro de automóvel deixa de arrecadar US$ 76 bi na América Latina

Coluna do Broadcast

15 de maio de 2019 | 05h30

Com a maior parte da frota de sem seguro, as seguradoras deixam de arrecadar US$ 76 bilhões com a modalidade nos maiores mercados da América latina, segundo o estudo Motor Gap Protection, do Swiss Re Institute, divisão de estudos e análises da gigante suíça Swiss Re. A cifra corresponde a aproximadamente 2,8 vezes o volume combinado de Argentina, Brasil, Chile, Colômbia e México.

Inseguros. Como pano de fundo para o “hiato de proteção”, o fato de 58% da frota de automóveis, conforme o estudo do Swiss Re Institute, carecer de qualquer tipo de seguro. Pesam na procura dos donos de veículos, sobretudo, desconhecimento dos produtos, dificuldade de compra, desconfiança de quem oferta e custos de acidentes ou roubo e furto (sinistros), que encarecem o preço das apólices.

Disruptivo. Apesar do potencial na América Latina, a expectativa do Swiss Re Institute é de que os seguros de automóveis crescerão em torno de 3% a 5% em termos reais nos países da região entre os anos de 2019 e 2023, com o maior crescimento na Colômbia e México. Outra consideração para o futuro é a tecnologia disruptiva que, ao mudar o panorama da mobilidade, terá impacto nas vendas de carros e, consequentemente, na demanda por seguro.

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Siga a @colunadobroad no Twitter

Para ver a Coluna do Broadcast sem o delay assine o Broadcast+

Mais conteúdo sobre:

segurosAmérica Latina