Sem IPO, Dori emplaca título sustentável e levanta R$ 200 mi

Sem IPO, Dori emplaca título sustentável e levanta R$ 200 mi

Cynthia Decloedt

13 de abril de 2022 | 05h25

CRA da Dori está atrelado a metas como redução de consumo de água  Foto: Ayrton Vignola/AE

Três meses após desistir de uma oferta inicial na bolsa (IPO, na sigla em inglês), a Dori Alimentos, fabricante de doces, balas e snacks, emplacou sua primeira oferta pública de Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRA) com viés sustentável. Foram R$ 200 milhões desses títulos com vencimento em cinco anos e compromissos relacionados a metas sustentáveis para serem cumpridas até 2026. Caso contrário, o juro pago pela empresa aos investidores aumenta até 0,15% em 2023 e mais 0,10% em 2025. Os CRAs foram vendidos com remuneração de IPCA mais prêmio de 6,20%.

Além de serem isentos de imposto de renda, os CRAs sustentáveis agradam investidores que têm preferido colocar em suas carteiras títulos de empresas com propósitos ambientais, sociais e de governança (ESG). No caso específico desses CRAs, a Dori prometeu reduzir os resíduos destinados para aterro sanitário em 54% e o consumo de água por tonelada de produtos fabricados em 9%. A transação teve como coordenadores o Safra (líder) e UBS-BB. A securitizadora é a Opea, ex-RB Capital.

O IPO saiu de cena, mas não da mira. A companhia mantém o plano de acessar a bolsa, mas vai aguardar um melhor momento de mercado. Em janeiro, a Dori Alimentos desistiu pela segunda vez de levar sua oferta adiante, que inicialmente estava prevista para o fim de 2021. Na ocasião, as conversas eram de que sua oferta poderia movimentar R$ 1 bilhão.

 

Esta nota foi publicada no Broadcast no dia 12/04/22, às 17h40.

O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse.

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.