Semantix se une a Alpha Capital, empresa ‘cheque em branco’, e deve valer US$ 1 bi na Nasdaq

Semantix se une a Alpha Capital, empresa ‘cheque em branco’, e deve valer US$ 1 bi na Nasdaq

Cristiane Barbieri

18 de novembro de 2021 | 14h45

Empresa deve ser negociada na Nasdaq ainda no primeiro semestre de 2022  Foto: Andrew Kelly/ Reuters

A Semantix, plataforma de software como serviço (SaaS) de dados, está fundindo-se com a Alpha Capital, uma companhia de aquisição de propósito específico (SPAC, na sigla em inglês). Conhecidas como “empresas cheque em branco”, as Spacs abrem capital em Bolsas nos EUA com a meta de encontrar empreendimentos que receberão o aporte arrecadado na oferta. No caso da Alpha Capital, o objetivo era encontrar empresas de tecnologia na América Latina.

Com o anúncio, a empresa combinada passa de um valor de mercado de US$ 693 milhões para US$ 1 bilhão, caso o preço das ações seja negociado a US$ 10 e não haja resgate. Já o valor patrimonial será de US$ 1 bilhão. Ela deverá ser negociada na Nasdaq com o ticker STIX, ainda no primeiro semestre do próximo ano, quando o processo for aprovado pela SEC (Securities and Exchange Comission, o xerife do mercado de capitais nos EUA) e pelos próprios acionistas da Spac.

Fundada em 2010 por Leonardo Santos, que continuará no comando, a Semantix tem mais de 300 clientes em 15 países, aos quais vende uma solução de inteligência de dados. A partir de bases das grandes empresas, consegue trabalhar os dados e fazer com que consigam melhores resultados tanto em termos de vendas, prevenção de fraudes, risco de crédito, bem como para a produção industrial. Também permite que algumas bases de dados transformem-se em receitas às empresas, com seu uso para projeções econômicas, por exemplo.

Internacionalização

Após o acordo, a Semantix espera ter receita de US$ 73 milhões em 2022. De 2019 a 2023, a empresa acredita que poderá ter taxa de crescimento anual acima de 57%.

A transação foi financiada com US$ 324 milhões, incluindo US$ 230 milhões do fundo Alpha Capital (que pode sofrer resgates após o anúncio da escolha da companhia investida). Porém, foi também negociado um aporte privado em empresas públicas (Pipe, da sigla em inglês) de US$ 94 milhões, com investidores como Inovabra Ventures, Crescera, FJ Labs e outros. Além disso, a Innova Capital, um dos maiores acionistas da Alpha Capital, se comprometeu a não resgatar US$ 23 milhões em ações.

Com os recursos, a Semantix pretende investir em internacionalização, bem como na diversificação de sua carteira de clientes. A ideia é atender também a pequenas e médias empresas e ganhar escala em diferentes países.

“Buscávamos uma empresa lucrativa e com perspectivas de crescimento”, diz o presidente e diretor da Alpha Capital, Rafael Steinhauser. “Pois a Semantix tem crescimento altíssimo e rentabilidade de 56%. O SaaS é tem vendas recorrentes, gera mudança e valor de mercado às clientes, sendo que para 95% deles os contratos duram mais de um ano”. A Alpha conversou com mais de 50 empresas e afunilou a seleção em 12, antes de fechar com a Semantix.

Segundo Santos, como o SaaS de dados gera melhoria nas vendas por conta de inteligência imputada nas informações, o crescimento tende a ser contínuo. Aos 38 anos de idade, ele começou a trabalhar aos 12 “lavando cachorro e entregando pizza”. Tomou uma bronca do pai, de classe média, que deu um computador e um curso de informática. De monitor no Senac a evangelizador da Microsoft, começou a empreender aos 20. Não parou mais.

 

Esta reportagem foi publicada no Broadcast+ no dia 17/11/21, às 20h03.

O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse.

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Siga a @colunadobroad no Twitter

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.