Ser compra 3ª startup de educação no ano e vai vender conteúdo a concorrentes

Ser compra 3ª startup de educação no ano e vai vender conteúdo a concorrentes

Cristiane Barbieri

02 de dezembro de 2021 | 05h15

Universidade Guarulhos, controlada da Ser; grupo de educação tem 240 mil alunos  Foto: Márcio Monteiro/Ser Educacional

A Ser Educacional acaba de comprar a edtech Delinea, por R$ 20 milhões. Mais do que uma aquisição – a terceira do ano, nas quais foram investidos R$ 100 milhões -, o negócio reforça a nova frente de atuação do grupo, que passará a produzir conteúdo a ser vendido para outras empresas da área. Segundo Jânyo Diniz, presidente da Ser, a ideia é atender uma fatia significativa de um mercado em expansão, com escolas que oferecem cursos de ensino superior regulados, crescendo com cursos livres de formação profissional e vice-versa. Fundada em Santa Catarina, a Delinea tem 13 mil produtores de conteúdo, 230 mil horas de aulas e 17 mil materiais educativos catalogados, entre itens como infográficos interativos, games e realidade virtual aumentada.

Ao mesmo tempo em que expande a nova frente de receitas, a Ser espera manter o faturamento de suas universidades, que somam 240 mil alunos, mesmo vendendo aulas à concorrência. Isso porque, de acordo com Larissa Kleis, sócia da Delinea, o conteúdo é produzido especificamente com as necessidades de cada aluno e a linguagem de cada cliente. Entre eles, estão Ânima, Uniasselvi e Mackenzie.

Ganhos  de sinergia

No ano passado, a receita da Delinea foi de R$ 6 milhões. Para Rodrigo Alves, diretor de relações com investidores da Ser, haverá ganhos de sinergia, já que, nos últimos três anos, o grupo gastou mais de R$ 40 milhões com produção e compra de conteúdo – que deixarão de ser desembolsados.

Além de cortar esse gasto, agora vai faturar com as aulas, bem como com a plataforma de gestão e produção de conteúdo em modelo SaaS (software as a service). Poderá também usar os 6 mil professores da rede nessa nova frente. A Delinea também tem a perspectiva de internacionalização e venda de conteúdo a outros países.

Além da empresa, a Ser comprou as edtechs Prova Fácil e Beduka, no último ano, com o objetivo de diversificar as áreas de atuação, as alternativas de receita, além de fortalecer o sistema de ensino, claro. A Beduka é uma plataforma de apoio online para alunos que querem ingressar no ensino superior, por meio de planos de estudos e simulados. Com a Prova Fácil, o grupo entrou no segmento de gestão de testes.

Segundo Alves, os negócios adquiridos pelo grupo saíram de uma margem de lucro operacional de 5% a 10% para 35%. “Quanto mais a gente olha essa área, mais a gente sabe que nada sabe”, diz ele. “Tem muita empresa interessante e muitas áreas para olhar.”

 

Esta nota foi publicada no Broadcast+ no dia 01/12/21, às 21h00.

O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse.

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Siga a @colunadobroad no Twitter

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.