Setor calçadista reage e cria mais de 10 mil vagas em janeiro

Setor calçadista reage e cria mais de 10 mil vagas em janeiro

Circe Bonatelli

17 de março de 2021 | 11h00

Foto: Estadão

O setor calçadista brasileiro iniciou o ano abrindo vagas. Foram criados 10.442 postos de trabalho em janeiro, 52% acima do mesmo mês de 2020. O movimento sinaliza um esboço de recuperação do setor, que cortou 21.364 vagas no ano passado, em meio à crise. Os dados foram compilados pela Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados) com base no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia.

Retrocesso. A indústria tem sido pressionada pela diminuição na demanda por calçados durante a pandemia, além da competição com a oferta de produtos importados. Segundo a Abicalçados, foram produzidos cerca de 710 milhões de pares em 2020, queda que levou o nível de produção próximo ao de 16 anos atrás.

Estimativas. Para 2021, a associação projetava 14,1% de crescimento na produção, chegando a 810 milhões de pares, ou o equivalente ao patamar de 10 anos atrás. Essa projeção, entretanto, pode acabar revista. O cálculo foi feito antes da nova onda do coronavírus, baseado em um programa de vacinação em massa e sem novos fechamentos expressivos do comércio – como o que está acontecendo agora.

Tudo o que sabemos sobre:

Abicalçadoscalçadospandemiaemprego

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.