Setor empresarial aposta que governo fechará acordo sobre clima

Setor empresarial aposta que governo fechará acordo sobre clima

Coluna do Broadcast

04 de dezembro de 2019 | 03h55

O Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS), que representa 60 empresas de grandes grupos empresariais brasileiros, tem expectativa enorme de que o governo flexibilize sua posição na Conferência do Clima, que acontece até o dia 13 em Madri, em torno dos mecanismos de cooperação para a criação de um mercado global de carbono. Na Conferência de 2018, na Polônia, o Brasil barrou a negociação. O CEBDS vem articulando com o Ministério da Fazenda para que o país avance nesta agenda.

Avanço. A expectativa é de que o governo brasileiro aceite a proposta de uma transição segura das atuais reduções de CO² que o País já realizou no período do Protocolo de Kyoto. Isso poderia ser feito por meio da criação de um Fundo de Compensação, por exemplo, para compra de créditos de carbono já gerados – como os Mecanismos de Desenvolvimento Limpo (MDL) -, evitando a dupla contagem de créditos (tanto pelo país vendedor quanto pelo comprador). Pela proposta, esses créditos não seriam contabilizados para o Acordo de Paris, mas, mesmo assim, poderá ser bem aceita. O texto-base do Artigo 6 sobre o qual os negociadores dos países vão discutir e buscar um consenso até o dia 13, deve ser divulgado hoje.

Notícia publicada no Broadcast no dia 3/12/2019 às 17:08

contato: coluna.broadcast@estadao.com

Siga a @colunadobroadcast no Twitter

Tendências: