Spotify e mais 244 empresas gringas estarão disponíveis a investidores brasileiros

Spotify e mais 244 empresas gringas estarão disponíveis a investidores brasileiros

Fernanda Guimarães

31 de janeiro de 2020 | 04h05

Bandeira do Spotify, na listagem direta na Bolsa de Nova York. REUTERS/Lucas Jackson/File Photo

Quase dois anos depois de o Spotify inovar com a listagem direta na Bolsa de Nova York, o serviço de streaming de música estará agora disponível aos investidores brasileiros. Ela e mais 244 companhias listadas fora do Brasil, como Whirlpool e Chipotle Mexican Grill, passam a ter BDRs – os certificados de depósito de valores mobiliários emitidos no Brasil, que representam ações de companhias abertas com sede no exterior -, negociados na B3.

Leia: Amazon, Apple e Google lideram ações estrangeiras na Bolsa brasileira

Baile todo. Esses novos BDRs se unem a Walt Disney, Facebook, Google, Alibaba e Mercado Livre. No total, são 554 BDRs Não Patrocinados disponíveis para negociação na B3.

Quase lá. Hoje, os BDRs são uma opção limitada a poucos investidores, já que é preciso ser considerado “profissional”, aqueles com mais de R$ 1 milhão investido. No entanto, essa alta régua pode estar com dias contados.

Saiba mais: Bancos públicos devem acelerar vendas de ativos

The end. Termina em fevereiro a audiência pública lançada pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) sobre o tema, que deve abrir a possibilidade desses papéis serem comprados por todos investidores por aqui. Outra regra sobre os BDRs deve ser alterada: permitir a empresas brasileiras que abriram capital fora do País, como XP e PagSeguro, ter BDRs negociados por aqui, o que é hoje vetado.

Notícia publicada no Broadcast no dia

Contato: colunabroadcast@estadao.com
Siga a @colunadobroadcast no Twitter

 

Tudo o que sabemos sobre:

BDRb3CVM

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: