Stark, ‘Tinder do M&A’, vai comprar fintech para oferecer financiamento

Stark, ‘Tinder do M&A’, vai comprar fintech para oferecer financiamento

Matheus Piovesana

10 de julho de 2021 | 11h00

Foto: Fabio Motta/Estadão

A Stark, butique digital com foco em empresas de médio porte que faz o ‘match’ entre investidores em busca de novos negócios e proprietários que querem vender os seus, está em estágio avançado de conversas para adquirir uma fintech, negócio que deve ser fechado em até dois meses. A ideia é oferecer aos clientes soluções financeiras e de crédito corporativo, como operações de ‘sale e leaseback’, em que a empresa vende o imóvel que ocupa e o aluga em seguida, para fazer caixa, ou emissões de renda fixa.

A Stark percebeu que antes de decidir vender a empresa, o proprietário recorre a crédito cinco ou seis vezes, e enxergou nisso uma possibilidade de faturar mais. Até aqui, a meta da plataforma é chegar a R$ 10 milhões em receita neste ano. Se a nova vertical der certo, essa cifra pode triplicar em 2022.

Em movimento paralelo, a Stark vai buscar parcerias com escritórios regionais de aquisições ou assessoria financeira para empresas para aumentar sua capilaridade. O modelo será de sociedade, e já há conversas com três escritórios, no Paraná, em Minas Gerais e na Bahia.

Esta reportagem foi publicada no Broadcast+ no dia 09/07/2021, às 17h00.

Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse 

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Siga a @colunadobroad no Twitter

Tudo o que sabemos sobre:

StarkTinderM&A

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.