Startup oferece florestas como opção de investimento sustentável

Coluna do Broadcast

17 de outubro de 2018 | 04h00

A startup Radix, com foco no investimento em florestas plantadas de mogno africano, já tem 25% de títulos de investimento coletivo (equity crowdfunding) reservados por 117 investidores, em uma terceira rodada de captação, de R$ 900 mil. A oferta foi aberta há duas semanas na plataforma Kria, de equity crowdfunding.

Ascendente. Na primeira oferta, os sócios da Radix mobilizaram 34 investidores, que aportaram R$ 250 mil. Na segunda, o público interessado aumentou para 104 investidores, em razão da regulação do equity crowdfunding pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM). A captação foi de R$ 240 mil, sendo que R$ 200 mil foram levantados em apenas três dias.

Opção verde. A proposta da Radix é “democratizar” o investimento em um setor dominado por grandes empresas e investidores, que acessam esses ativos por meio de um condomínio florestal ou um Fundo de Investimento em Participações (FIP). O público alvo da startup são pequenos e médios investidores preocupados com a sustentabilidade e com a diversificação. Cada título de investimento coletivo da Radix custa R$ 500, com expectativa de rentabilidade de 12% ao ano, sem considerar eventual valorização da madeira.

Tudo o que sabemos sobre:

sustentabilidaderadix

Tendências: