Startup paulistana Yuca dobra número de quartos para locação

Startup paulistana Yuca dobra número de quartos para locação

Circe Bonatelli

23 de outubro de 2020 | 05h10

A startup Yuca, que compra, reforma e aluga apartamentos na capital paulista, está prestes a dobrar seu portfólio em 2020. Ela tinha 250 quartos no começo do ano e deve fechar com 500, engrossando a concorrência entre empresas que têm inovado no mercado imobiliário, como Quinto Andar e Loft.

Serviço. A caçula Yuca acaba de lançar uma nova modalidade de investimento, na qual oferece o serviço de curadoria para que investidores comprem imóveis indicados pela empresa, que se encarrega da reforma, locação e administração.

Modelo de negócios. O aluguel é feito no formato de coliving. Ou seja: o apartamento tem os quartos alugados a diferentes inquilinos, que compartilham sala, cozinha e banheiro.

Retorno. O formato ajuda a extrair o máximo de valor dos aluguéis. A promessa é de um retorno de até 8,8% ao ano para os investidores, claro, dependendo da ocupação. Já o aporte mínimo é de R$ 400 mil.

La garantia. A Yuca garante um porcentual de faturamento ou uma renda mensal fixa acordada em contrato mesmo se o imóvel não for ocupado. Caso o investidor opte por um cenário sem garantias, ele assume o risco operacional, mas pode ficar com o aluguel inteiro.

Time. Por trás da Yuca estão os fundadores Eduardo Campos (fundador também da gestora de venture capital ONEVC), Paulo Bichucher (ex-Pátria) e Rafael Steinbruch (ex-Starwood Capital). A startup captou US$ 6 milhões na rodada inicial de aportes, liderada pela Monashees e com participação das gestoras Creditas, ONEVC, Barry Sternlicht, Hans Tung (GGV), Saurabh Gupta (DST) e Montage e outros R$ 25 milhões com investidores imobiliários.

contato: colunadobroadcast@estadao.com

Siga a @colunadobroad no Twitter

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: