Ternium e Nippon não chegam a acordo sobre Usiminas e têm nova conversa em 27/4

Coluna do Broadcast

23 de fevereiro de 2017 | 05h00

Representantes de Ternium e Nippon Steel, sócias controladoras da Usiminas, se reuniram na semana passada com o intuito de avançar nas negociações para colocar um fim ao conflito societário na siderúrgica, que já dura mais de dois anos. Mais uma vez, contudo, não houve consenso e uma nova reunião foi agendada para o dia 27 de abril. A Ternium quer a adoção de uma cláusula de saída e Sérgio Leite, hoje vice-presidente Comercial da Usiminas, na presidência executiva. A Nippon quer alternância de poder entre as duas empresas. A Usiminas, aliás, divulgou semana passada seu desempenho financeiro e, mais uma vez, mostrou queima de caixa.

Frustrou
No mercado, comenta-se que a companhia japonesa não quer incluir no acordo de acionistas uma cláusula de saída. A falta de consenso na reunião frustrou, visto que aguardava-se definições em tempo hábil para que eventuais mudanças no Conselho de Administração e na diretoria executivo ocorressem antes da assembleia de acionistas, marcada para abril. Ternium e Nippon não comentam.

E agora?
Mais uma vez sem acordo e com a Ternium adquirindo a Companhia Siderúrgica do Atlântico (CSA), que há tempos estava à venda, os holofotes se voltam a uma alternativa já aventada: a divisão da Usiminas.

 

Siga a @colunadobroad no Twitter

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: