Tragédia do Chapecoense pode tornar ressegura para risco latino mais exigente

Coluna do Broadcast

11 de dezembro de 2016 | 07h19

O trágico acidente que vitimou o time da Chapecoense e jornalistas deve fazer com que as resseguradoras internacionais adotem uma postura mais dura com o risco latino-americano, ainda que o excesso de capacidade do mercado ressegurador possa minimizar esse efeito. No Brasil, já ocorreram 45 acidentes aéreos provocados por pane seca desde 1989, início da série histórica do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), órgão ligado à Aeronáutica. Esse tipo de sinistro, contudo, não está coberto pelo seguro de aviação.
Siga a @colunadobroad no Twitter