Transferência de executivos entre países volta a crescer

Cristiane Barbieri

15 de dezembro de 2020 | 05h15

Aos poucos, a transferência de executivos entre países começa a ser retomada. Ao longo de março, abril e maio, com o fechamento das fronteiras em diversos países, houve queda de 30% no volume de processos, de acordo com a Crown World Mobility. Com sede em Hong Kong, a empresa está entre as cinco maiores do ramo no mundo, com 10 mil clientes corporativos e faturamento de US$ 800 milhões por ano.

Zero a zero. Com a volta dos processos, a empresa fecha o ano com o mesmo resultado de 2019: 120 mil transferências de executivos pelo mundo. Antes da pandemia, a expectativa era repetir o crescimento médio de anos anteriores, quando a Crown World Mobility registrava alta de 10% ao ano.

5 x 1. A empresa intermediou a transferência de 3 mil profissionais no Brasil ao longo deste ano, com destaque para os segmentos de vendas, finanças e tecnologia. Segundo Haroldo Modesto, responsável pela Crown World Mobility no Brasil, como as fronteiras nacionais foram abertas totalmente em setembro, há mais gente entrando do que saindo do País. O câmbio favorável é um dos fatores de atração ao Brasil hoje.

Contato: colunadobroadcast@estadao.com

Siga a @colunadobroad no Twitter

Tudo o que sabemos sobre:

empresasexecutivos

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.